22 de Mai de 2024

olhar crianca

Nas férias escolares, quando as crianças têm mais tempo para brincar dentro e fora de casa, é necessário que os pais tenham atenção redobrada com a saúde ocular infantil. Além do acompanhamento de rotina com o oftalmologista, nesse período, deve-se evitar situações ou fatores que coloquem em risco os olhos das crianças. A oftalmopediatra Dra. Ana Carolina Valença Collier destaca algumas medidas que podem prevenir acidentes e garantir uma boa saúde ocular dos filhos: 

Marque uma consulta de rotina com o(a) oftalmopediatra de sua confiança

O primeiro passo é aproveitar as férias para verificar se a visão das crianças está em perfeitas condições. Afinal, erros de refração como miopia, astigmatismo e hipermetropia ainda são a principal causa de deficiência visual na idade escolar no Brasil. O Ministério da Saúde aponta que são cerca de 13 milhões de pessoas, entre 5 e 15 anos, com erros refracionais não corrigidos, o que interfere em seu desempenho na escola. “As férias oferecem uma boa oportunidade para fazer um check up completo da visão. Mesmo se a criança não tiver queixa, a revisão anual é indispensável, pois algumas doenças oculares são imperceptíveis no dia a dia e só são descobertas na visita ao oftalmolopediatra”, orienta Dra. Ana Carolina.

Defina regras para o uso de eletroeletrônicos

Ficar exposto durante muitas horas em frente ao computador, tablet, televisão ou celular pode ser muito prejudicial à visão infantil. O uso exagerado desses dispositivos pode fazer com que a criança desenvolva diversos incômodos. “É importante que os pais estipulem um limite de horas no uso desses aparelhos, pois a luz azul e a secura dos olhos são muito ruins para a saúde ocular da criança e podem contribuir para que ela desenvolva a Síndrome do Olho Seco ou outras doenças”, alerta a oftalmopediatra.

Observe o comportamento das crianças

Apertar os olhos para enxergar melhor, aproximar o rosto demais das telas, trocar letras, se queixar de dor de cabeça ou tontura, ficar sonolenta, coçar os olhos ou lacrimejar podem ser sinais de que a criança tem algum problema na vista. Falta de paralelismo, desvio, fotofobia, dor nos olhos, pupilas borradas ou brilhosas nas fotografias também podem indicar doenças oculares. Segundo a Dra. Ana Carolina, se os pais perceberem algum desses comportamentos ou sintomas devem procurar o oftalmopediatra o quanto antes.

Monitore e oriente brincadeiras; evite o uso de objetos pontiagudos

É recomendado evitar brinquedos com peças pontiagudas ou jogos que demandem muita força ou violência na direção dos olhos. “Muitos pais chegam na emergência ou no consultório desesperados por conta de algum acidente com objetos estranhos, pontiagudos ou por brincadeiras violentas que atingiram os olhos dos filhos. Por isso, é essencial explicar bem às crianças o que pode ocorrer com a visão nessas situações perigosas. Afinal, elas são muito curiosas e ativas, correspondendo aos responsáveis orientá-las”, aconselha a médica.

Armazene fora do alcance das crianças produtos nocivos para os olhos

Não é novidade que alguns itens de limpeza e outros líquidos podem ser perigosos para a saúde, em geral, e para a saúde ocular infantil, em particular. As crianças não podem ter acesso a esses produtos, pois uma vez nas mãos o caminho para os olhos é imediato. “Os pais devem guardar esse material fora da vista e do alcance das crianças, se mantendo sempre vigilantes para evitar acidentes, já que na infância os olhos ainda estão em formação e produtos como esses podem causar danos irreversíveis”, alerta a oftalmopediatra.

 

 

 

 

 

 

Fonte: assessoria de comunicação do Instituto de Olhos do Recife – IOR