27 de Mai de 2022

Você sabia que as primeiras lentes de contato eram feitas de vidro e tinham o objetivo de proteger os olhos ao invés de corrigir a visão? Desde então, pudemos acompanhar uma grande evolução do setor que agora oferece soluções que vão muito além da correção visual e se adequam às mais diversas exigências dos usuários. De acordo com a Sociedade Brasileira de Lentes de Contato, Córnea e Refratometria -- SOBLEC, cerca de 3 milhões de pessoas usam lentes de contato no Brasil, um produto versátil e tecnológico, altamente popular na Europa, Ásia e Estados Unidos, e que cada vez mais vem fazendo parte do dia a dia dos brasileiros. 

A primeira lente de contato foi desenvolvida em 1887 para proteger os olhos de um paciente que precisava se recuperar de uma cirurgia de retirada de pálpebras. No ano seguinte, o pesquisador Adolphe Eugéne Fick criou as lentes para correção visual, mas elas ainda eram feitas de vidro e causavam um grande incomodo. Somente na década de 1930 foram criadas as primeiras lentes de contato feitas através da combinação de polímeros plásticos, até que, no início dos anos 1970, as lentes gelatinosas chegaram ao mercado, tornando o produto mais popular. 

Ao longo das últimas décadas, temos acompanhado não apenas uma mudança nos materiais utilizados para fabricá-las, mas também nas tecnologias aplicadas. Recentemente, por exemplo, as empresas passaram a investir em produtos voltados para uma geração de usuários que passa a maior parte do tempo em frente às telas de dispositivos digitais. "Quando estamos diante de dispositivos eletrônicos, piscamos metade das vezes que deveríamos piscar. Isso faz com que os olhos fiquem mais ressecados, ocasionando cansaço visual e dores de cabeça", explica a Dra. Regina Noma. 

Segundo um relatório divulgado pela consultoria App Annie Intelligence, os brasileiros são os que passam mais tempo conectados em aplicativos de celular no mundo todo: cerca de 5,4 horas por dia. "Inovação, agilidade em todos os níveis, forte conexão com o mercado e relacionamentos duradouros com os consumidores nos permitem estar sempre atentos às tendências e a ajudar a melhorar a forma das pessoas enxergarem cada dia", comenta Gerson Cespi, diretor-geral da CooperVision no Brasil. 

O avanço no setor é tão forte que hoje já é possível encontrar lentes de contato que, além e corrigirem, são capazes de controlar a progressão da miopia infantil. Outra inovação é o modelo que consegue diminuir o ressecamento e o cansaço dos olhos ocasionados pelo uso de dispositivos digitais, período em que o usuário pisca menos. "Saímos de lentes de contato de vidro e chegamos a lentes que se adaptam ao estilo de vida digital de seus usuários. A tecnologia contribui para que a cada dia os usuários conquistem mais saúde ocular, conforto e qualidade de vida. Isso é fantástico, e não tenho dúvidas de que ainda teremos muitas novidades pela frente", destaca a Dra. Noma.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: assessoria de comunicação da CooperVision