18 de Abr de 2021

Oftalmologista explica que irritações e alergias oculares tendem a aumentar nesta época do ano

verao coruja

No próximo dia 21, quando a estação mais quente do ano começa os cuidados com a visão precisam ser redobrados. Isso porque alergias e irritações oculares, bem como algumas viroses tendem a aumentar, no verão, devido ao excesso de cloro nas piscinas, reações alérgicas a produtos como protetores solares, além da grande exposição ao sol e a água salgada do mar. Especialista em lentes de contato, o oftalmologista Dr. José de Barros explica que, nesta época, aumenta o número de casos de pacientes com irritações oculares ou quadros de conjuntivite, pterígio, ceratite e mesmo degeneração macular e catarata. “Os incômodos mais comuns são vermelhidão, prurido (coceira), ardor, aumento da sensibilidade à luz (fotofobia), visão turva e sensação de areia nos olhos”, comenta.

Para evitar esses problemas oculares e aproveitar o verão, os cuidados são simples. “Mesmo em dias nublados é importante usar sempre óculos de sol com proteção UVA e UVB, passar filtro solar evitando a região dos olhos, não usar maquiagem para ir à praia ou piscina, lavar bem as mãos para evitar resíduos nos olhos, não esfregar os olhos ao sair do mar ou da piscina e, se possível, usar óculos apropriados para nadar”, orienta o médico.

O Dr. José de Barros também alerta para o uso obrigatório da máscara, quando se está fora da água, para evitar o contágio com a Covid-19, além dos riscos da exposição em excesso ao sol. “Ficar muito tempo no sol pode causar queimaduras de córnea e lesões graves na mácula, especialmente quem fica olhando diretamente para o sol. Essas queimaduras são gravíssimas e podem levar à cegueira”, afirma. Se surgir qualquer sintoma ou alteração nos olhos recomenda-se procurar a emergência oftalmológica para evitar complicações.

Lentes de Contato

Segundo o oftalmologista, quem usa lentes de contato está mais sujeito a desenvolver quadros inflamatórios, infecciosos e alérgicos. Para evitá-los, a atenção com o uso, manuseio e higiene das lentes é essencial, neste período do ano. “Na praia, por exemplo, deve-se evitar o contato com a areia e ter cuidado com o excesso de vento”, aconselha.

Não se deve entrar no mar usando lentes de contato, o que vale também para piscinas e outros ambientes aquáticos. “A higiene também é fundamental, especialmente a do estojo, onde as lentes são guardadas, e o local onde elas são manuseadas”, orienta o especialista.

Lavar o estojo semanalmente é outra recomendação do médico, além de trocá-lo por um novo a cada três a quatro meses. Deve-se evitar dormir com as lentes e utilizar sempre colírios lubrificantes, segundo o horário e período de uso indicado. “O paciente precisa respeitar o esquema de uso recomendado pelo seu oftalmologista, fazendo a troca ou reposição no prazo certo”, orienta José de Barros.

Fonte: assessoria de comunicação do Instituto de Olhos do Recife