30 de Nov de 2020

Pode ser mais comum do que parece

Visão subnormal afeta pessoas de diversas faixas etária

A visão é uma necessidade do ser humano para desempenhar suas tarefas normalmente, seja para ler, escrever, andar e desempenhar as atividades rotineiras. Qualquer alteração na capacidade de enxergar, principalmente pacientes com doenças na retina, deve ser observado por um profissional especialista para diagnosticar a necessidade do paciente. A visão subnormal impacta diretamente no cotidiano das pessoas, como explica a Dra. Dorotéia Matsuura, especialista no assunto. É considerada uma deficiência na função visual, podendo persistir após a realização de tratamentos para a correção do uso de óculos e lentes de contato ou na implantação de lentes intraoculares após cirurgia de catarata. “Não devemos confundir com a cegueira, que é a perda total da visão. Se caracteriza pela diminuição na nitidez de objetos, essa condição pode provocar uma visão afunilada (como se enxergasse por um tubo) e redução da visão lateral (conhecida como periférica)”, detalha a oftalmologista.

Pode observar também a dificuldade na visão central, visto que os pacientes relatam uma mancha escura, causando uma diminuição visual. “Para reverter essas limitações, os pacientes podem utilizar dicas e estratégias de uso da iluminação, do contraste das coisas e do tamanho. Portanto, em telas de celulares, computadores e televisores é possível melhorar a capacidade visual com brilho e aumento das fontes”, acrescenta Dorotéia.

Para superar as dificuldades causadas pela visão subnormal, algumas medidas são necessárias para melhorar a qualidade de vida, entre elas estão:

- Óculos com lente de aumento – São mais fortes que os óculos de grau comuns;

- Lupas manuais – São instrumentos com a capacidade de aumentar muitas vezes os tamanhos dos objetos;

- Telelupas – Aumentam as imagens mais distantes. Podem ser acopladas aos óculos de leitura;

- Prismas – Tem a capacidade de mover as imagens do campo visual afetado para outro saudável.

 

 

 

 

 

 

Fonte: Blog do Juares