25 de Set de 2020

Certamente, você já ouviu que cenoura faz bem para os olhos. A ideia, popular principalmente entre nossas avós, conta, sim, com um fundo de verdade. Manter uma alimentação equilibrada e rica em nutrientes é fundamental para o bom funcionamento de todo o organismo e isso inclui os olhos. Ou seja, comer bem ajuda (e muito) a sua visão! No caso da saúde ocular, alimentos ricos em vitaminas A, E e C são recomendados, pois são antioxidantes e auxiliam no combate a radicais livres e no retardamento do envelhecimento. Essas vitaminas são encontradas em alimentos nas cores roxa, vermelha e alaranjada, como a abóbora, a jabuticaba e o mamão.

Substâncias como luteína e zeaxantina, que também possuem poderosa função antioxidante, podem ser bastante positivas para a saúde ocular. Estão presentes nos vegetais amarelos, alaranjados, vermelhos e verdes, como milho, ervilha, rúcula, nectarina, laranja, mamão, pêssego, brócolis, couve-de-bruxelas, repolho, couve-flor, etc.

Outro destaque é o ômega 3, presente principalmente nos peixes, mas também em alimentos como nozes, sementes de linhaça e de chia, entre outros. Algumas pesquisas apontam que essa substância auxilia na lubrificação dos olhos e no combate à síndrome do olho seco, atuando na preservação do filme lacrimal, camada lacrimal muito fina que reveste a superfície ocular.

Assim, são muitos os que consideram que uma alimentação que combine essas substâncias é excelente na prevenção de doenças da retina e de inúmeros outros danos que podem ocorrer na visão, especialmente àqueles relacionados à idade. Refeições bem coloridas com alimentos naturais podem contribuir para a manutenção da saúde ocular.

Alimentos que precisam ser evitados

Quando se fala em alimentação e saúde dos olhos, devemos considerar não só os alimentos que devem ser ingeridos, como também os que precisam ser evitados. Essa recomendação abrange, especialmente, pacientes que apresentam doenças sistêmicas que podem afetar a saúde dos olhos, como hipertensão e diabetes, que podem causar glaucoma secundário (conhecido como neovascular) e as retinopatias hipertensiva e diabética. Pacientes nessas condições devem evitar alimentos que contenham corantes, conservantes, realçadores de sabor (glutamato monossódico) e àqueles que contêm gordura trans, pois são inflamatórios.

Porém, como também dizem as mães e avós, prudência e caldo de galinha não costumam fazer mal para ninguém. O médico oftalmologista é o profissional que melhor tem condições de sugerir mudanças alimentares que podem contribuir para sua saúde ocular. Na próxima consulta, converse com ele a respeito!

 

 

 

 

Fonte: Revista Veja Bem