27 de Mai de 2020

Campanha distribui óculos de proteção a hospitais do SUS

O Instituto Penido Burnier, especializado em oftalmologia, está em campanha de solidariedade aos hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS) com doação de óculos de proteção ou EPIs para proteger a saúde dos médicos, paramédicos e enfermeiros que atendem pacientes com a COVID-19, infecção causada pelo novo coronavírus, sars-cov-2. De acordo com o presidente do hospital, o oftalmologista Dr. Leôncio Queiroz Neto a primeira doação de 300 óculos de proteção já foi realizada junto a Rede municipal de Campinas que integra o Hospital Gatti, Hospital Ouro Verde e paramédicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) que faz o resgate de usuários do sistema público de saúde.

Queiroz Neto afirma que tomou a decisão de lançar esta campanha por causa da contaminação em massa dos profissionais da saúde que vem acontecendo no país. Para tanto, conta com o apoio da Associação Brasileira de Indústrias Ópticas (ABIOTICA) e a parceria da Allprot, empresa nacional especializada na produção de óculos de proteção que está doando as EPIs. O médico ainda afirma que as lentes têm alta qualidade, são fáceis de higienizar e contam com tratamento que evita o embaçamento. “Para ampliar a campanha estamos abertos a novas parcerias”, salienta.

Nesta sexta, dia 3 de abril, acontece às 10h, nas dependências do Instituto Penido Burnier, mais uma entrega à médica Sonia Camargo Tambellini de 50 óculos de proteção também doados pela Allprot à Santa Casa de Amparo. Sonia que é  presidente da Associação Mulher Unimed onde trabalha com cegos e baixa visão além de atuar na Santa Casa, conta que o hospital não tem um único óculos de proteção. O último censo da vigilância sanitária mostra que Amparo tem 12 casos suspeito de COVID-19 e 2 já foram descartados. Na cidade o único hospital com unidade de terapia intensiva (UTI) é a Santa Casa. Sonia afirma que são 9 leitos na UTI, mais 6 de retaguarda que contam com médico, fisioterapeuta, enfermagem e equipamentos. “Estas EPIs vem em boa hora se considerarmos que o número de contaminações deve aumentar nas próximas semanas”, diz a médica.

Queiroz Neto ressalta que as EPIs não podem ser compartilhadas. Isso porque, um estudo mostra que em superfícies de plástico ou similares o coronavírus sobrevive por cinco dias”, afirma. Entre profissionais da saúde é essencial. Isso porque o coronavírus pode chegar às vias respiratórias através do ducto lacrimal que interliga olhos e nariz. Por isso, a proteção com máscara e luvas é bastante parcial” afirma. Não por acaso, a Academia Americana de Oftalmologia (AAO) recomenda que os olhos também sejam protegidos, salienta.

Olhos vermelhos

O oftalmologista destaca que apesar da febre, tosse e falta de ar serem os sintomas de COVID-19 mais divulgados, informe recente divulgado pela AAO destaca que muitas pessoas contaminadas só apresentam olho vermelho. Isso explica porque 80% das pessoas com COVID-19 são considerados assintomáticas. "É por isso que lavar as mãos com frequência e evitar tocar os olhos é a primeira medida de prevenção", conclui.

Fonte: assessoria de comunicação do Instituto Penido Burnier