31 de Mai de 2020

Cerca de 350 estudantes fizeram testes aplicados por um robô chamado Adam. Resultados serão enviados para oftalmologista

Ação ocorreu ontem na Nossa Senhora do Rosário. Intenção do Lions Centro é intensificar os esforços pela visão durante o ano
Ação ocorreu ontem na Nossa Senhora do Rosário. Intenção do Lions Centro é intensificar os esforços pela visão durante o ano

Ação ocorreu ontem na Nossa Senhora do Rosário. Intenção do Lions Centro é intensificar os esforços pela visão durante o ano

Cerca de 350 alunos participaram de uma ação inovadora proporcionada nessa quarta-feira, 11, pelo Lions Clube Centro, em Santa Cruz do Sul. O Programa Dádiva da Visão tem como objetivo identificar jovens com problemas de visão para que sejam encaminhados a atendimento médico especializado. Todos os estudantes da Escola Estadual Nossa Senhora do Rosário fizeram testes aplicados por um robô chamado Adam, que avalia a capacidade de enxergar. Mais tarde, isso é submetido a um oftamologista.

A iniciativa é fruto de parceria com a Clínica de Óculos e conta com recursos próprios do Lions e apoio do Sicredi. Conforme a presidente do Lions Clube Centro, Marilucia Franceschetti, é a primeira vez que uma escola pública do município recebe esse tipo de teste de acuidade. “A visão tem sido um grande problema diante dos avanços e do uso excessivo da tecnologia. Com esse equipamento, o teste é muito mais eficaz. Ele permite que o oftalmologista, por meio da leitura do QRCode, possa dar continuidade para a utilização dos óculos, o que também será contemplado nesse projeto”, explica.

Para a vice-diretora da escola, Débora Bizarro, o programa contempla os estudantes que não podem pagar pelos exames. “Esta ação colabora para o desenvolvimento do aluno em sala de aula, já que a falta de visão pode comprometer a aprendizagem. Com certeza vai ajudar muito todas essas crianças.”

b_300_0_16777215_00_http___cms.gaz.com.br_wp-content_uploads_2020_03_André-Guedes.jpgGuedes: prioridade para os casos graves

O robô Adam, que vem de Curitiba, não dá um diagnóstico, mas mede a capacidade visual da pessoa, segundo o proprietário da Clínica de Óculos, André Trajan Cardoso Guedes. “Só hoje identificamos quatro casos sérios de problemas de visão, que serão encaminhados com prioridade para o médico. O teste vai para o oftalmologista, que terá todos os dados da avaliação.” Com duração de três a cinco minutos, o exame avalia se a pessoa é daltônica e como está a capacidade de enxergar, para longe e perto.

As atividades na Rosário seguem durante este mês. Em abril, outra escola será contemplada pela iniciativa, mas a intenção do Lions é intensificar as ações pela visão durante o ano de 2020. Além da consulta com o especialista, os alunos mais carentes vão ganhar os óculos. A escola fará a seleção, por conhecer melhor a realidade das famílias. “É um trabalho muito bacana porque atende a uma demanda social”, ressalta Marilucia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Portal Gaz