01 de Abr de 2020

ONG combate a cegueira evitável em São Paulo e em áreas rurais remotas e desassistidas na Amazônia   

Com mais de 2 milhões de consultas e 100 mil cirurgias oculares gratuitas realizadas nos últimos cinco anos, o Instituto Paulista de Estudos e Pesquisas em Oftalmologia (Ipepo), conhecido como Instituto da Visão, recebe o Prêmio Cidadão SP, na categoria Saúde. Promovido pelo ReciproCidade, o prêmio é conduzido pelo jornalista Gilberto Dimenstein, fundador da Catraca Livre. Neste ano, conta com a parceria da Tegra Incorporadora. Também serão contemplados Paulo Borges, idealizador da São Paulo Fashion Week (economia criativa); o fundador do RenovaBR, Eduardo Mofarej (cidadania); a pesquisadora Renata Bertazzi Levy (ciência); Eduardo Saron, dirigente do Itaú Cultural (grande homenagem); e Hercules Gomes (cultura).

Atendimento gratuito

Seja nas periferias da capital paulista, seja em áreas remotas da Amazônia, é possível encontrar médicos voluntários do Ipepo – Instituto da Visão. Lá, prestam assistência oftalmológica a pessoas que não têm acesso ao serviço público, por exemplo. Também atuam em campanhas comunitárias, mutirões e atendimentos de rotina. Encontram, entre outros, casos de catarata, doença responsável por metade dos casos de cegueira do mundo e que pode ser tratada, ou pterígio, um crescimento benigno de tecido na córnea do olho. E devolvem a visão à população. 

O trabalho na Amazônia é desenvolvido duas vezes por ano. À bordo de uma embarcação equipada com aparelhos de última geração, os médicos navegam pelos rios da região. Há áreas que não têm acesso a um serviço público de oftalmologia num raio de 250 km. Por vezes, é até oferecido, mas o tempo de espera ultrapassa um ano.

Ipepo - Instituto da Visão - Prêmio Cidadão SP

Além de diagnósticos e cirurgias, o instituto doa cerca de 5.000 óculos de grau a cada expedição, em parceria com a Lupas Leitor.

Reconhecimento mundial

O trabalho do instituto rendeu, neste ano, o Prêmio António Champalimaud de Visão, considerado o maior do mundo na área de oftalmologia, realizado a cada dois anos. O instituto e outras duas instituições brasileiras premiadas, a Fundação Altino Ventura e o Serviço de Oftalmologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), receberão um milhão de euros. Com o dinheiro, que será repartido entre as três, está prevista a expansão dos serviços oferecidos na periferia paulistana. A instituição pretende também dar atenção especial a outra doença: a diabetes ocular.

Na Amazônia, o foco estará no combate ao pterígio. A doença tem alta incidência em regiões tropicais – incluindo aí a região Norte brasileira. Fundado em 1990 por professores de oftalmologia da Universidade Federal de São Paulo ( Unifesp), o Ipepo – Instituto da Visão também apoia o ensino, a pesquisa e a assistência oftalmológica.

Cerimônia

O evento do Prêmio Cidadão SP será realizado no Museu de Arte Moderna de São Paulo(MAM), no dia 25 de janeiro, aniversário de 466 anos da capital paulista. Uma das mais importantes instituições culturais do país, cravado no simbólico Parque Ibirapuera, ele concentra obras dos principais modernistas do Brasil. O prêmio já homenageou expoentes como o maestro João Carlos Martins; Danilo Miranda, diretor do Sesc-SP; o jornalista Jairo Marques, da Folha de S.Paulo; e os empreendedores sociais Antonio Nóbrega, do Instituto Brincante, Marcelo Rosenbaum, do A Gente Transforma, e Roberto Kikawa, do Projeto Cies. Instituições como a plataforma de mídia e notícias Quebrando o Tabu e a agência Africa também foram contempladas.

 

 

 

 

Fonte: Catraca Livre