19 de Fev de 2020

Relatório da OMS constatou que o envelhecimento da população, a mudança de estilo de vida e o acesso limitado à assistência oftalmológica estão entre os principais fatores do crescente número de pessoas com deficiência visual

Cerca de 14 milhões de brasileiros têm a visão prejudicada em função de erros refrativos 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) publicou seu primeiro relatório mundial sobre visão e os dados divulgados sobre a saúde ocular mundial são alarmantes. Segundo a entidade, atualmente ao menos 2,2 bilhões de pessoas têm algum déficit de visão e quase 1 bilhão dos casos poderiam ser evitados e tratados. O relatório constatou que o envelhecimento da população, a mudança de estilo de vida e o acesso limitado à assistência oftalmológica estão entre os principais fatores do crescente número de pessoas que vivem com deficiência visual. Dentre as múltiplas questões que impactam a saúde ocular, os especialistas têm alertado para a necessidade de proteger os olhos dos raios UV-A e UV-B.

Com raros casos congênitos, a condição é, geralmente, adquirida e está diretamente relacionada ao envelhecimento. Considerando que o brasileiro já alcança a expectativa média de 76 anos e estimativas recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que nas próximas duas décadas teremos mais idosos do que crianças vivendo no Brasil, é uma condição que inspira cuidados. Aproximadamente 85% das cataratas são classificadas como senis, com maior incidência na população acima de 50 anos.

"Apesar da causa da catarata senil ser multifatorial, é correto afirmar que a exposição solar inadequada dos olhos, sem proteção efetiva, associada ao próprio envelhecimento, favorecem o surgimento da catarata. Ao contrário do envelhecimento, é possível prevenirmos o impacto da radiação solar nos nossos olhos, então, por que não ampliarmos a conscientização da sociedade para esse cuidado? Assim como desde a década de 90 já se fala enfaticamente sobre a proteção solar da pele, temos que fortalecer o cuidado com a saúde ocular dos olhos em relação à exposição ao sol", defende Dra. Débora.

Os pacientes que sofrem desse problema geralmente apresentam visão borrada ou dupla, sensibilidade ou enxergam as luzes e veem as imagens distorcidas. A especialista reforça ainda que "uma vez que a catarata foi diagnosticada, o médico oftalmologista saberá indicar o melhor tratamento para cada caso. Na maioria dos casos, o tratamento cirúrgico é o único capaz de restabelecer a visão do paciente", destaca.

Segundo indicador do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), cerca de 14 milhões de brasileiros têm a visão prejudicada em função de erros refrativo - miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia-, e para esses casos, o uso de lentes de contato pode ajudar a corrigir as necessidades de correção. Por isso, especialistas recomendam que as pessoas fiquem atentas a saúde ocular e frequentem oftalmologistas periodicamente para um acompanhamento anual. Assim será possível diagnosticar doenças que podem prejudicar a visão, prevenindo-as.

 

 

 

Fonte: Folha Vitória