22 de Jan de 2020

Incidência da doença nessa época pode chegar a 80%; porém, medidas simples e eficazes podem ajudar a evitar esse e outros problemas oculares

Chapéus e óculos escuros. Esses adereços tornam-se muito presentes em épocas de férias, como no início do ano, mas a utilidade deles vai muito além do estilo. Quem quer prevenir doenças oculares deve levar tais itens na mala, sem pensar duas vezes. O uso de óculos escuros de qualidade, certificado por profissionais, aliado ao chapéu, ajuda – e muito –, a proteger a visão de vários problemas, como a conjuntivite. “No verão a incidência dessa doença chega a 80%, por isso é importante prevenir”, explica o oftalmologista Dr. Omar Assae.  

A conjuntivite ocorre quando há uma inflamação da conjuntiva, membrana que recobre o olho. A mais comum delas, a infecciosa, pode ser bacteriana ou viral, e é altamente contagiosa. Existem vários tipos da doença, como a conjuntivite alérgica, fúngica e a tóxica, porém as virais são as mais comuns.  

Além do uso do chapéu e dos óculos escuros, é importante também adotar medidas de higiene, que podem fazer toda a diferença e deixar a conjuntivite bem longe. “Evite coçar os olhos, principalmente se as mãos estiverem sujas e se estiver em ambientes aglomerados. Só esse cuidado já previne boa parte dos casos”, detalha o médico. Já no caso do cloro das piscinas e do sal do mar, embora não causem doenças diretamente, podem provocar alergias ou irritações.  

Por fim, nada de tratamentos caseiros para tratar a vermelhidão ocular, coceira ou outros sintomas correlatos. Sentiu que algo não vai bem nos olhos, procure um oftalmologista, pois medidas caseiras podem agravar ainda mais o quadro. Além de conjuntivite, outras enfermidades que podem aparecer no verão são as ceratites, alergias, catarata precoce, tumores, pterígio, entre outras.  

 

Fonte: Portal CEMA