01 de Dez de 2020

Descuido com alimentação, falta de óculos, lentes vencidas ou piratas expõem 9 em cada 10 pessoas a danos no sol. Entenda.

Milhares de brasileiros invadem as praias nas férias para comemorar a virada de ano, mas muitos descuidam da visão nos banhos de sol. Por isso, o "tempo pode fechar" e o passeio ficar literalmente embaçado. Para se ter ideia, levantamento feito pelo oftalmologista Dr. Leôncio Queiroz Neto com 620 pessoas mostra que menos da metade tem hábito de proteger os olhos do sol. Pior, quanto mais jovens, menos se protegem. Para ele, se for contabilizado o uso de óculos solares com filtro vencido por já estar em uso há mais de dois anos, ou que não filtram a radiação ultravioleta porque foram comprados no mercado paralelo sem nenhuma garantia, só 1 em cada 10 brasileiros mantém os olhos protegidos da radiação solar.

“Lentes escuras sem filtro ou vencidas são piores do que a falta de óculos”, afirma. Isso porque, explica, no escuro nossa pupila dilata e uma quantidade maior de radiação ultravioleta penetra nos olhos, aumentando  o risco de degeneração dos tecidos oculares.

Doenças

Queiroz Neto afirma que o sol tem efeito cumulativo nos olhos. Por isso, as doenças só aparecem com o tempo. As principais decorrentes da falta de proteção solar são: fotoceratite, câncer nas pálpebras, pterígio, catarata e degeneração macular.  

Fotoceratite

De todas elas, a única que surge depois de algumas horas no sol, ressalta, é a fotoceratite. Os sintomas são vermelhidão e sensação de areia nos olhos. Geralmente desaparece espontaneamente quando a pessoa permanece distante do sol, mas provoca a perda de células e pode causar cicatrizes na córnea que comprometem a visão se a falta de proteção for mantida.

Câncer nas pálpebras

O especialista destaca que as pálpebras são a região do corpo mais atingida pelo câncer de pele. Isso porque, nesta região a pele é mais fina e delicada. Ele explica que os óculos com filtro solar funcionam como barreira física. Quando associados aos cremes com fator de proteção UVA e UVB diminuem bastante o risco da degeneração da pele. Mas os cremes devem ser aplicados sem contato com as mucosas oculares, adverte. Isso porque, uma pequena quantidade dentro do olho provoca conjuntivite tóxica que não é contagiosa, tem secreção aquosa, mas pode causar dor intensa.

Pterígio

Queiroz Neto afirma que muitas pessoas confundem catarata com pterígio. O segundo é, uma membrana que cresce sobre a conjuntiva por um mecanismo de defesa. Esta membrana só precisa ser operada quando atrapalha a visão. “Caso contrário pode ser eliminada pelo uso de pomadas”, salienta.

Catarata

Maior causa de cegueira tratável no mundo, a catarata torna opaco nosso cristalino, lente do olho que focaliza as imagens na retina. O oftalmologista ressalta que normalmente a doença aparece em pessoas com mais de 60 anos, mas a radiação solar aumenta em 60% a chance de ter a doença e antecipa sua formação da mesma forma que facilita o aparecimento de rugas na pele. O primeiro sinal da catarata é a troca frequente dos óculos, perda da visão de contraste e ofuscamento no trânsito. O único tratamento é a cirurgia que substitui o cristalino opaco por uma lente transparente. Em 2020 deve chegar ao Brasil uma lente de cristal líquido com foco automático para todas as distâncias, igual ao nosso cristalino natural até a idade de 40 anos.

Degeneração macular

Maior causa de cegueira definitiva, a degeneração macular atinge a mácula, porção central da retina responsável pela visão de detalhes. Queiroz Neto afirma que o tratamento para evitar a perda da visão é feito com aplicações de laser e de injeções dentro do olho, mas a periodicidade das consultas médicas deve ser rigorosamente mantida. O primeiro sinal da doença é enxergar linhas tortuosas. Indica necessidade imediata de consultar um oftalmologista, pontua.

Alimentação

Uma das principais dica do médico para melhorar a proteção dos olhos nas férias de verão é caprichar no consumo de frutas cítricas e vermelhas. Isso porque, são ricas em vitamina C, potente antioxidante que desacelera os processos de envelhecimento como  acontece na catarata e degeneração macular quando o  assunto é saúde ocular. Queiroz Neto destaca que a vitamina C também estimula a produção de leucócitos e por isso melhora a imunidade tornando os olhos mais resistentes às bactérias e vírus que causam conjuntivite.

Para melhorar a hidratação do corpo e dos olhos a dica é comer melancia que tem 90% de água e é rica em fibras. Já a semente de linhaça e peixes como a sardinha são ricos em ômega 3 e por isso diminuem a evaporação da lágrima. As frutas e vegetais de cor laranja como cenoura e mamão contêm vitamina A, um nutriente essencial para garantir sua visão e férias com saúde, conclui.

 

 

 

 

Fonte: assessoria de comunicação do Instituto Penido Burnier