22 de Set de 2019

Grandes impactos ou esforços físicos excessivos, tosse persistente e convulsiva ou até crises de espirros em sequência podem contribuir para o descolamento da retina. Doença ocular grave mais comum em adultos e pessoas idosas, raramente é hereditária, mas, neste caso, pode acontecer em crianças ou bebês.

Os buracos na retina – camada interna do olho, constituída de tecido nervoso, que capta estímulos luminosos que se transformam em imagens – permitem a passagem do vítreo (gel que preenche o globo ocular), separando a retina da parede do olho. Este movimento pode causar rompimento, hemorragias ou o descolamento. Uma vez descolada esta parte da retina não funciona mais e causa o aparecimento de uma imagem borrada ou mancha escura na visão.

Os oftalmologistas alertam que a lesão na retina, normalmente, é percebida na hora, com visão turva e até sangramento. Além disso, é importante ressaltar que descolamentos são mais comuns em pessoas predispostas, com histórico familiar, prematuros e míopes. Isso porque, neste grupo, a estrutura da retina é mais fina e sensível.

O problema pode começar em uma pequena área e, se não houver tratamento, a retina se desprende por completo. O descolamento da retina é uma urgência médica. Se não for tratado convenientemente e depressa, pode evoluir para perda total da visão. O importante é procurar imediatamente um oftalmologista se notar qualquer tipo de alteração visual.

desola

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Revista Veja Bem