22 de Set de 2019

Especialista explica por que os raios solares podem fazer tão mal à visão e quais são as principais novidades no tratamento da doença

catarata_ceratite_retinopatia_sol_raiosuva_cema.jpg

O sol é importantíssimo para a vida; no entanto, ele também pode favorecer o aparecimento de diversas doenças, entre elas a catarata. Pesquisadores do Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica em Montpellier, na França, estudaram cerca de 2.500 pessoas e observaram que aquelas com maior exposição ao sol tinham uma propensão de 2,5 a 4 vezes de desenvolver a doença do que aquelas que não se expunham tanto aos raios solares. “Quanto mais exposição ultravioleta, maior a incidência de catarata”, explica o oftalmologista Dr. Minoru Fujii.

Atualmente nota-se um aumento de casos, em parte por causa dessa exposição aos raios UVA do sol. A radiação ultravioleta favorece o aparecimento de problemas de visão, como ceratite, retinopatia solar e catarata, entre outras. “Vale lembrar também que os sintomas iniciais da catarata podem ser confundidos com outras doenças, como degeneração macular, retinopatia diabética ou glaucoma, e somente um médico é capaz de verificar o que está acontecendo, de fato”, detalha o médico. 

A catarata ocorre quando o cristalino – lente natural do olho – fica opaco, causando um aspecto de visão nublada. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que até 2020 cerca de 40 milhões de pessoas tenham a doença. Entre os principais sintomas da catarata estão a visão embaçada, o ofuscamento da claridade, dificuldade para dirigir à noite e visão dupla. O envelhecimento está entre os principais fatores de risco, assim como as doenças metabólicas, como diabetes, traumas e uso de medicamentos, como corticoides.

E vale lembrar que jovens também podem desenvolver a doença. Apesar de menos comum, os especialistas já notam um aumento no número de casos. Atualmente, o principal tratamento da catarata é cirúrgico. Com técnicas cada vez mais eficientes e seguras, a cirurgia é considerada minimamente invasiva. “É possível também realizar o procedimento com laser e associar a nova tecnologia 3D. Essas inovações fazem da cirurgia da remoção da catarata uma das mais avançadas”, resume Fujii. A catarata é responsável por cerca de 51% dos casos de cegueira no mundo, de acordo com a OMS.

 

 

Fonte: Portal CEMA