17 de Dez de 2018

Evento terá orientação sobre complicações da doença e exames oftalmológicos para detecção de retinopatia diabética. Mutirão acontece um dia depois do Dia Mundial de Combate ao Diabetes

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que para 600 mil pessoas, o equivalente à população de Joinville, haja 25.800 diabéticos, ou seja, 4,3% de pessoas. Desse total, apenas 54% têm o diagnóstico de diabetes. Com o objetivo de esclarecer a população sobre os riscos dessa doença, a Sociedade Joinvilense de Medicina e Associação Catarinense de Oftalmologia (SCO) realizarão o 2º Mutirão do Diabetes, no dia 15 de novembro, na Sociedade Esportiva e Recreativa da Tigre que acontece um dia depois do Dia Mundial de Combate ao Diabetes.

O Grupo Opty e a sua unidade em Joinville, o Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem, estão entre os principais apoiadores e patrocinadores desse projeto que pretende atender 1000 pessoas, entre pacientes já diagnosticados com a doença ou não. Profissionais do grupo, entre eles experientes retinólogos, trabalharão voluntariamente no projeto, realizando exame para detecção da retinopatia diabética, a maior causa de cegueira na população abaixo dos 60 anos, devido às alterações estruturais que ocorrem nos vasos sanguíneos da retina, de acordo com a OMS.

"Vemos no Mutirão de Diabetes em Joinville a oportunidade de orientar a comunidade para as complicações associadas ao diabetes, que pode trazer sérias consequências para a visão, por exemplo. O objetivo é não somente conscientizar a população, como também melhorar a qualidade de vida dos portadores dessa doença", comenta o Dr. Evandro Luís Rosa, oftalmologista do Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem e um dos responsáveis pelo projeto do mutirão. É a segunda vez que a instituição se engaja nessa ação.

"Ficamos tão positivamente impactados pelos resultados da primeira edição do mutirão, que decidimos estender a ajuda, com o patrocínio da ação pelo Grupo Opty, colaborando na divulgação dessa causa tão necessária para o bem-estar da comunidade local", comenta Amaury Guerrero, CEO do Grupo Opty.

Na primeira edição do Mutirão, foram atendidas 225 pessoas diabéticas, sendo que 23% apresentaram algum grau de retinopatia, aquelas que tinham indicação de laser urgente foram tratadas. Foi observado que 54% dos pacientes nunca fizeram o exame de fundo de olho e 85% nunca tinham realizado o exame do pé diabético.

Atividades

Durante o Novembro Azul Diabetes, antecedendo o mutirão, será realizada a Caminhada Azul pelo Diabetes. O evento de abertura acontece no dia 11 de novembro, a partir das 8h30, no Mercado Municipal, com atrações musicais e de entretenimento. Às 9h30, será dada a largada. No dia 15, pela manhã, será a vez do mutirão contra o diabetes. Haverá a realização de exames como a medição de glicemia, pressão arterial, Índice de Massa Corpórea (IMC) e o exame de fundo de olho, que pode trazer informações importantes em pessoas de todas as idades. Diversas doenças podem ser detectadas, entre elas alterações metabólicas, como o diabetes mellitus.

A novidade para este ano é a avaliação do pé diabético. Estima-se que os pacientes com diabetes possuem 25% mais risco de desenvolver úlceras nos pés e, com isso, uma probabilidade maior de amputações que poderiam ser evitadas. Os pacientes que apresentarem alterações pelo diabetes poderão, ainda, fazer os exames de Hemoglobina Glicosilada A1c e de Creatinina. Também haverá palestras e orientações sobre o diabetes e suas complicações.

Diabetes em números

De acordo com dados de 2017 da OMS, são 425 milhões de diabéticos no mundo: 1 em cada 11 adultos é diabético. Em 2040, serão 642 milhões de pessoas com a doença, que atinge todas as idades. O Brasil ocupa o 3º lugar em número de crianças e adolescentes com diabetes tipo 1. Estima-se que cerca de 50% das pessoas com diabetes não sabem que têm a doença na América Latina. O Brasil ocupa o 4º lugar entre os países com maior número de pessoas que desconhecem seu diagnóstico, daí a importância de ações de conscientização sobre a doença. De acordo com a Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo, 90% dos pacientes com diabetes tipo 1 e 60% com o tipo 2 devem desenvolver a retinopatia diabética ao longo da vida. Não existe cura para a doença, e o diagnóstico precoce somente é possível com a consulta rotineira ao oftalmologista.

Serviço

2º Mutirão do Diabetes de Joinville

Data/horário: Dia 15 de novembro, das 8 às 12h

Local: S.E.R Tigre – R. Gothard Kaesemodel, 254, Anita Garibaldi, Joinville

 

 

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de comunicação do Grupo Opty