14 de Nov de 2018

Com uma intervenção simples, que não dura mais do que alguns minutos, é possível reverter a principal causa de cegueira no Brasil: a catarata. O melhor é que as técnicas modernas não só tratam o problema como possibilitam a correção de eventuais erros refrativos, a exemplo da miopia e do astigmatismo

O cristalino, estrutura localizada logo atrás da pupila, é a lente natural dos olhos, atuando na convergência dos raios luminosos para formação das imagens. No entanto, devido ao próprio envelhecimento e a outros fatores, ele pode se tornar opaco, levando à perda de visão progressiva. O uso crônico de colírio corticoide, doenças metabólicas, como o diabetes, uveítes (inflamações no interior dos olhos), trauma ocular e exposição excessiva à radiação solar são capazes de acelerar o surgimento dos danos. A boa notícia é que dá para corrigir o problema com uma cirurgia simples, rápida – com duração de 10 a 15 minutos, em média – e segura, devolvendo a visão.

Como é o procedimento

Não se deixe impressionar pela descrição do procedimento, tendo em mente que o paciente recebe sedação, não sente nada nem consegue visualizar com clareza os movimentos do cirurgião. Em resumo, a intervenção consiste em uma pequena incisão para aspiração do cristalino danificado, que é substituído por uma lente artificial.

Avanços

O uso das chamadas lentes intraoculares multifocais é uma importante inovação neste tipo de cirurgia. Elas tentam imitar a função do cristalino de enxergar de perto e de longe, por isso, também corrigem erros refrativos (miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia). Outra vantagem é que elas são maleáveis, o que facilita a realização de uma incisão menor, sem necessidade de ponto. Assim, o paciente sente menos dor e só precisa utilizar colírios – antibióticos e anti-inflamatórios – no pós-operatório.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Portal Olhos