22 de Set de 2018

As aplicações ajudam a reparar danos à retina e aos seus vasos sanguíneos, provocados por algumas doenças. Conheça as vantagens do tratamento

Fotocoagulacao a Laser

O procedimento é simples. O paciente chega à clínica e os especialistas fazem uma preparação, que consiste na aplicação de uma substância que dilata a pupila. Antes de iniciar a sessão, o médico também pinga um colírio anestésico. Finalmente, ele posiciona a cabeça da pessoa em uma aparelho e aciona os feixes de laser, direcionados à retina.

O objetivo é cicatrizar a região, danificada por doenças como a retinopatia diabética, em que o prejuízo é provocado pelo excesso de açúcar no sangue. Há ainda outra condição, chamada oclusão da veia da retina, em que ela fica obstruída, prejudicando o fluxo de sangue e a oxigenação local. Em caso de roturas na retina ou risco de descolamento, o recurso também é uma boa opção.

Considerando a gravidade de todas essas condições, a fotocoagulação é uma alternativa bastante promissora. A aplicação é rápida e, na maioria das vezes, indolor. Depois de alguns minutos, o indivíduo já está liberado, mas precisa da presença de um acompanhante, já que existe a possibilidade de ele sentir certo desconforto e embaçamento da visão ao término do tratamento.

Um recente estudo da Academia Americana em Oftalmologia comprovou que a fotocoagulação é um recurso positivo na cauterização da retina isquêmica (em que o fluxo sanguíneo está comprometido) e na preservação visual, em pacientes com retinopatia diabética.

 

 

 

 

Fonte: Portal dos Olhos