15 de Ago de 2018

oculoplastica

A cirurgia plástica ocular, também conhecida como oculoplástica, vem ganhando cada vez mais adeptos. De acordo com uma pesquisa da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica e Estética (Isaps), em 2015, a blefaroplastia, cirurgia da pálpebra, por exemplo, ficou em terceiro lugar no ranking das 15 intervenções mais feitas no Brasil, com 143.165 procedimentos, ficando atrás apenas da lipoaspiração e do implante de silicones nos seios.

No entanto, mesmo com a crescente demanda por esse tipo de cirurgia, muitas pessoas ainda desconhecem os benefícios da oculoplástica. Essa subespecialidade da oftalmologia visa a correção de anormalidades das pálpebras e das vias lacrimais, seja por motivos funcionais ou estéticos. A blefaroplastia, por exemplo, é um procedimento oculoplástico que elimina a flacidez, bolsas de gorduras e rugas das pálpebras inferior e superior, melhorando a estética facial e rejuvenescendo a região em torno dos olhos.

Com o objetivo de sanar algumas dúvidas sobre a oculoplástica, a oftalmologista Dra. Camila Cheble, responde, abaixo, algumas perguntas comuns sobre o assunto:

1 - Quais são os principais procedimentos abrangidos pela oculoplástica?

São a blefaroplastia, que é a retirada do excesso de pele das pálpebras superior e inferior; correção de entrópio e ectrópio, que é o mau posicionamento da pálpebra para dentro ou fora do globo ocular; correção de ptose, "pálpebra caída"; correção da posição dos cílios; retirada de tumores palpebrais; aplicação de toxina botulínica; desobstrução das vias lacrimais; entre outros.

2 - Quais são os benefícios desses procedimentos?

Os procedimentos visam a correção de anormalidades das pálpebras e do sistema lacrimal, sejam elas de natureza funcional ou estética, sempre com a preocupação máxima em proteger e preservar as estruturas oculares, assim como a função visual. Além disso, há o objetivo de atenuar os sinais visíveis de envelhecimento com cirurgia ou procedimentos não invasivos, promovendo o rejuvenescimento e a harmonização facial.

3 - Quem pode se beneficiar com a oculoplástica?

Todos os pacientes, de crianças a idosos, com anormalidade das pálpebras ou das vias lacrimais.

4 - Há contraindicações?

Apenas há contraindicação quando o paciente não está em condições clínicas, doença sistêmica descontrolada, para ser submetido a um procedimetno cirúrgico. 

O domínio que o cirurgião oculoplástico possui sobre a complexa anatomia das pálpebras e sua relação íntima com os olhos, a familiaridade com o globo ocular e estruturas associadas são essenciais para uma cirurgia cosmética ou reconstrutiva correta e segura.

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de comunicação do Centro da Saúde Ocular Kátia Mello