11 de Dez de 2017

O Lacrimejamento Excessivo quer dizer que as lágrimas estão sendo liberadas em um volume maior do que o normal, ou que excede a capacidade de ser escoada pelas vias lacrimais. A produção de lágrimas é muito mais abundante nos casos em que a córnea é machucada, isto é, a parte transparente que cobre o colorido do olho tem a sua superfície descamada. Isto pode ocorrer pela a ação de um corpo estranho, por trauma e outros.

A percepção de quantidade excessiva de lágrimas nos olhos acontece por diferentes motivos:

  • Conjuntivites - Se a causa for conjuntivite alérgica, além do lacrimejamento, ocorre coceira, inchaço da conjuntiva (membrana mucosa presente nos olhos que reveste a parte interna da pálpebra e a superfície exposta da esclera, o branco do olho). Este lacrimejamento se inicia na fase pré-escolar e aparece em surtos até a adolescência. Para combater o lacrimejamento por conjuntivite, que é diagnosticada por exame oftalmológico, prescreve-se medicação antialérgica na forma de colírios e, algumas vezes, por via oral também;
  • Úlcera de córnea - Em úlcera de córnea o lacrimejamento é acompanhado de dor no olho, aumento de sensibilidade à luz, sensação de corpo estranho no olho, vermelhidão e a visão pode embaçar. O mesmo acontece quando um corpo estranho está presente no olho. Este lacrimejamento é mais comum em pessoas que usam lente de contato sem o devido cuidado, a maioria destes pacientes são adolescentes. Em úlceras de córnea provocadas por uso inadequado de lente de contato ou por infecção deve-se investigar a presença de bactérias, fungos, vírus e Acanthamoebas, assim, ela será tratada com medicação específica. Usuários de lentes de contato devem removê-las imediatamente ao sentir qualquer desconforto no olho e procurar um oftalmologisa;
  • Corpo estranho na superfície dos olhos ou atrás das pálpebras - A presença de corpos estranhos nos olhos pode ocasionar lacrimejamento. Este é um sistema de defesa dos olhos, lubrificando-os as lágrimas podem facilitar a saída destes corpos. Este lacrimejamento está mais relacionado aos acidentes de trabalho, portanto, ocorre mais em adultos em fase de atividade profissional;
  • Inflamação interna dos olhos - Na inflamação interna da parte colorida do olhos ocorre o aumento de sensibilidade à luz e dor, mas lacrimejamento com maior discrição. Está geralmente associado a doenças reumáticas. Este lacrimejamento é mais frequente nos adultos jovens. Neste caso, apenas o oftalmologista tem condições de fazer o diagnóstico usando aparelhos no consultório, descobrir se a causa é inflamatória ou infecciosa e tratar adequadamente com antiinflatórios, colírios que dilatam a pupila ou outros medicamentos, se forem necessários;
  • Aumento da pressão dos olhos em recém-nascidos - Recém-nascidos podem sofrer de glaucoma, onde o aumento da pressão do olho o faz aumentar de tamanho, parecer azualdo e com perda de brilho. Durante estas fases o lacrimejamento é comum. Isto não deve ser confundido com o lacrimejamento devido à obstrução congênita do canal lacrimal, que é muito frequente em recém-nascidos, logo após as primeiras duas semanas de vida. Neste casao pede-se para massagear o saco lacriamal (que fica no canto interno do olho sobre o nariz) com cotonete e limpar a secreção na margem das pálpebras. É importante aguardar até os seis meses de idade, pois o canal pode abrir sozinho. Adulto com o canal lacrimal obstruído costuma ter crises de infecção que, depois de controlada, pode necessitar de cirurgia para criar uma nova via de escoamento da lágrima;
  • Obstrução das vias lacrimais (canal lacrimal) - Quando a causa é por osbtrução do canal lacrimal, ocorre dificuldade no escoamento da lágrima produzida em quantidade normal, é percebido apenas o excesso de lágrima escorrendo pela face. Muitas vezes a lágrima acumulada dentro dos canais de escoamento facilita a infecção por bactérias, aparecendo secreção (remela) nos olhos e algumas vezes inchaço e vermelhidão da pele no canto do olho junto ao nariz (dacriocistite). Este lacrimejamento é mais frequente nos extremos das idades, no recém-nascido e acima dos 60 anos.

Diágnóstico do lacrimejamento

Para identificar casos de lacrimejamento, é necessário um exame feito pelo médico oftalmologista que tem condições de avaliar os sinais que aparecem no olho. Assim diagnosticará se o problema é por deficiência no escoamento da lágrima (obstrução do canal lacrimal) ou por auemto da produção de lágrima, como acontece nas demais causas. Algumas vezes é necessário um exame por imagem raiológica para localizar a obstrução na via lacrimal.