23 de Nov de 2017

Estimativa é de associação americana, e oftalmologista diz que se trata de uma 'epidemia'

b_300_0_16777215_00_https___ogimg.infoglobo.com.br_in_18730775-063-4a1_FT1086A_420_2014_775154606-2014121015371.jpg_20141226.jpg

Já em 2020, a revisão de estudos mostra que a prevalência de miopia no Brasil deverá ser de 27,7% (Foto: Fernanda Dias)

Em 2050, metade da população mundial terá miopia, problema que cria dificuldade de enxergar à distância. A estimativa é da Academia Americana de Oftalmologia (AAO), a partir de uma metanálise de 145 estudos cobrindo 2,1 milhões de participantes, divulgada por um grupo de pesquisadores da organização. O documento afirma, também, que 10% da população mundial deverá ter alta miopia, condição que abre porta para graves doenças oculares.

A metanálise estima que, em 2020, a prevalência de míopes no Brasil será de 27,7%, e nos Estados Unidos, de 42,1%. O problema deve se agravar até 2050, quando 50,7% dos brasileiros serão míopes, e 58,4% dos americanos, também, de acordo com a previsão da entidade. Isso significa que, nos próximos 34 anos, a incidência deve aumentar 83% no Brasil, e 20% nos Estados Unidos.

De acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Dr. Leôncio Queiroz Neto, esse cenário indica um grave problema de saúde pública no país, que ele chega a chamar de "epidemia de miopia". A preocupação deve-se ao fato de que, quando acima dos 6 graus, o risco de descolamento da retina, catarata, glaucoma e degeneração macular aumenta. Como a miopia é uma condição, e não uma doença, ela não tem cura. Mas precisa ser corrigida com óculos, lentes ou cirurgia, dependendo do caso.

Excesso de tecnologia "acomoda" a visão

Segundo Queiroz Neto, a miopia poder ser causada pelo estilo de vida, além da herança genética. "O uso intensivo do computador e outras tecnologias é um dos fatores relacionado ao aumento da miopia no mundo todo", destaca ele. Um estudo realizado pelo oftalmologista com 360 crianças de 6 a 9 anos mostra que o uso intensivo do computador aumentou a dificuldade de enxergar à distância em 21%, contra a prevalência de 12% apontada pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) para esta idade.

O especialista explica que se trata de uma miopia acomodativa. Está relacionada ao esforço para enxergar de perto e pode ser revertida com mudança de hábitos. Para que a visão não fique acomodada a enxergar só o que está próximo, destaca ele, a cada hora de uso do computador, videogame, smartphone ou outra tecnologia por crianças, é recomendado descansar de 20 a 30 minutos. A maior acomodação do olho na infância torna a visita anual ao oftalmologista obrigatória. Os pais também devem estimulá-las a praticar de atividades ao ar livre. Isso porque, até 8 anos de idade, a visão está em processo de desenvolvimento e precisa ser utilizada para todas as distâncias.

Queiroz Neto afirma, ainda, que a alimentação é outro fator que predispõe à miopia. O consumo exagerado de açúcar aumenta a produção de insulina e pode interferir no crescimento do eixo óptico onde as imagens são projetadas. A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é consumir seis colheres de chá de açúcar por dia.

 

 

 

 

Fonte: O Globo