20 de Jul de 2017

cuidados com a pele no inverno1

No inverno nos preocupamos bastante com as doenças respiratórias e em ficarmos agasalhados, e então, muitas vezes, esquecemos da nossa saúde ocular. Ao contrário do que muitos pensam, no inverno os raios ultravioletas emitidos pelo Sol, ventos e ar seco, ácaros e uso de ar condicionado também são muito prejudiciais aos nossos olhos, os tornam expostos aos agentes externos, danificando a lubrificação natural dos olhos, e os deixam sujeitos a doenças como conjuntivite e síndrome do olho seco.

Baixas temperaturas aliadas a poluição podem causar ressecamento ocular em diversos graus. Sabe aquela sensação desconfortável como se tivesse areia nos olhos? Se aliada a coceira e olhos vermelhos, pode indicar síndrome do olho seco. A síndrome pode ocorrer tanto por causa de fatores externos ou internos. Desde um problema na produção de lágrima, por exemplo, ou ar condicionado e clima muito seco. No frio, a concentração de pessoas em locais fechados aumenta, o que favorece a reprodução de micro-organismos capazes de causar doenças oculares como a conjuntivite e tornar o ambiente propício para a transmissão da mesma. A conjuntivite possui sintomas que não são desconhecidos da população em geral, isso porque todo mundo já teve contato com a conjuntivite de alguma forma ao longo da vida. Para os que já sofreram com essa doença, os sintomas começam com a visão embaçada e borrada. Pegar conjuntivite é sempre um desconforto e gera impactos na vida social e no ambiente de trabalho.

Ambas doenças podem gerar complicações posteriores e necessitam de um acompanhamento de um oftalmologista. Para prevenir, é aconselhável manter o ambiente sempre arejado, livre de poeira e umedecido. Lavar sempre as mãos e evitar coçar os olhos são dicas importantes para se proteger contra contaminações e lesões oculares.

 

 

 

 

 

Fonte: Visão Laser