21 de Out de 2017

Evitar alguns erros comuns na conservação e manuseio afasta os riscos de contaminação e prolonga a vida útil do produto

Recentemente, o caso da britânica Irenie Ekkeshis chamou atenção. Ela perdeu a visão de um dos olhos por ter manuseado as lentes de contato com os dedos molhados. Ekkeshis foi diagnosticada com ceratite amebiana, uma infecção ocular rara causada pelo protozoário parasita Acanthamoeba, comumente encontrado na água da torneira, do mar e de piscinas. Cerca de 85% dos casos de infecção por Acanthamoeba são causados por lentes de contato, sendo que, no Reino Unido, um em cada 50 mil usuários do produto são infectados com esse protozoário a cada ano. A ceratite amebiana não é uma doença muito comum e foi descoberta recentemente. No Brasil, os primeiros casos são de 1988. O oftalmologista Dr. Guilherme Rocha, médico referência em Ceratocone, conta que recebeu recentemente um caso em seu consultório.

“Um paciente usuário de lente escleral apresentou Acanthamoeba em ambos os olhos. Recebeu tratamento a tempo e melhorou. Os sintomas são típicos de uma infecção corneana, com olho avermelhado, dor, fotofobia, lacrimejamento e sensação de corpo estranho. Diagnosticado o problema, o tratamento deve ser imediato, com acompanhamento de um profissional e uso de colírios específicos”, explica o médico.

O oftalmologista alerta que os cuidados com as lentes de contato não são apenas para evitar a ceratite amebiana. Entre as doenças mais comuns causadas pelo uso incorreto do produto estão olho seco, ceratite epitelial ponteada, hipóxia corneana e ceratite infecciosa, causada por bactéria e fungos. “Se não usadas corretamente, conforme orientações médicas e conservação adequada, as lentes servem como um veículo para hospedagem, transmissão e recepção dos microorganismos no olho”, ressalta.

Segundo o oftalmologista, entre os principais erros cometidos por quem usa lentes, está a maneira de limpar o produto. “As lentes de contato devem ser higienizadas com soluções e produtos específicos antes e depois do uso, evitando o soro fisiológico. Isso evita que micro-organismos externos entrem em contato com os olhos, prevenindo possíveis infecções. É importante sempre lavar e secar bem as mãos antes de manusear as lentes de contato; na hora de fazer maquiagem, deve-se colocar a lente antes de usar os cosméticos; não expor as lentes a spray de cabelo e outros aerossóis também são recomendações importantes e erros comuns. Além disso, não deve usar lentes de contato na hora do banho, seja no chuveiro, mar, piscina ou práticas de esportes aquáticos. Assim como as lentes de contato, o estojo deve ser higienizado, usando a mesma solução das lentes e não água. E lembre-se, qualquer percepção de alteração, o médico deve ser sempre consultado”, alerta Dr. Guilherme Rocha.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do Hospital Oftalmológico de Brasília