22 de Nov de 2019

De olho nas doenças da visão

Admirar os netos que brincam, assistir aos programas da televisão, ler, enfim, realizar tarefas simples do cotidiano. A maioria das atividades da vida de quem está na terceira idade podem ser afetadas pelos problemas de visão. Nesta entrevista, o Prof. Dr. Marcos Ávila, especialista em Oftalmologia, faz um alerta para a incidência de doenças que afetam os olhos das pessoas que chegam à terceira idade, pois a visão também envelhece com a pessoa. Confira as mais frequentes:

Prof. Dr. Marcos Ávila é retinólogo e professor na Faculdade de Medicina da Universidade Católica de Goiás
Prof. Dr. Marcos Ávila é retinólogo e professor na Faculdade de Medicina da Universidade Católica de Goiás

Qual o problema de visão mais comum nas pessoas com mais de 40 anos?

Entre as doenças mais comuns está a presbiopia (vista cansada), que é a dificuldade para o trabalho próximo e a leitura, causada pela redução da força muscular e o endurecimento da lente que dá o foco para a vista de perto. A doença é uma das maiores causa do uso de óculos de grau em idosos. O problema, que aumenta com a idade, pode indicar outras doenças oculares, como catarata, glaucoma, degeneração macular e ainda diabetes, hipertensão arterial (pressão alta), isquemia e infecções. A doença ocorre geralmente após os 40 anos. Muitas vezes, alguns indivíduos que são míopes durante a vida, ao ficarem mais velhos, podem não necessitar de óculos para ler. Isto porque, a miopia faz com que haja uma sobreposição de imagem. De modo geral, todo ser humano precisa de óculos para leitura após os 40 anos.

E quais são as doenças da visão mais graves que atingem a terceira idade?

As que causam cegueira irreversível:

Glaucoma: É uma doença que se caracteriza por uma tríade de pressão alta dos olhos, escavação ou perda de sensibilidade do nervo ótico e perda do campo visual. Como a pressão alta, na maioria das vezes, não causa sintomas, o indivíduo perde a visão sem perceber.

Retinopatia diabética: Todo indivíduo diabético com mais de cinco anos da doença tem que, obrigatoriamente, ser avaliado por um oftalmologista, porque o diabetes leva a alterações na visão. E se a doença for detectada precocemente é possível tratar e evitar a cegueira.

Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI): É a maior causa de cegueira em pessoas acima de 60 anos no mundo. Ela é caracterizada pelo aparecimento de pequenas manchas no fundo do olho, chamadas de drusas. São aquelas mesmas manchas que aparecem no dorso das mãos. Discute-se como causas a exposição aos raios durante toda a vida e baixo consumo de frutas e verduras, que tenham vitamina E, betacaroteno, zinco e cobre. É uma doença que pode ser tratada na sua fase inicial. O transtorno irreversível provoca uma degeneração do ponto central da retina, que destrói a visão de detalhes (cores e formas). O problema impossibilita o idoso de ler, reconhecer as cores, dirigir veículos, entre outras atividades.

As que causam cegueira reversível:

Catarata: Atinge quase todos os idosos e pode ser tratada com cirurgia, por meio da colocação de uma lente intraocular no olho. Caso não ocorra outras doenças no globo ocular ou algum tipo de complicação na cirurgia o reestabelecimento da visão é muito bom. Os sintomas mais habituais são a visão embaçada e a dificuldade para enxergar em locais muito claros.

Com que freqüência pessoas com mais de 50 anos devem ir ao oftalmologista?

O ideal é que os idosos que possuem algum problema de visão consultem um oftalmologista pelo menos uma vez ao ano e sempre que aparecer qualquer sintoma diferente, como ponto preto na visão e distorção das linhas retas quando se tampa um dos olhos.

Há possibilidade de o jovem se prevenir para ter uma visão boa após os 50 anos?

Isso é muito controverso, mas algumas medidas úteis podem ser tomadas, com o tratamento adequado do diabetes e do glaucoma, bem como evitar a exposição excessiva aos raios solares.


Fonte: Viva Bem Mais – Guia da Maturidade