11 de Dez de 2017

Toxoplasmose é a doença mais grave que pode acometer a grávida, pois pode levar à perda de visão do bebê

A gravidez é caracterizada por um período de intensas mudanças hormonais, que envolvem os diversos órgãos do corpo. Entre eles, os olhos. Problemas como olho seco, escotomas (presença de manchas escuras em alguns pontos do campo visual), visão dupla, diminuição da visão podem ocorrer durante a gravidez.

Para responder as principais dúvidas sobre o tema, a médica oftalmologista e diretora da Sociedade de Oftalmologia Pediátrica da Latino América, Dra. Marcia Beatriz Tartarella concedeu uma entrevista.

Por qual motivo as grávidas são mais suscetíveis a problemas de visão?

As alterações que a gravidez pode ocasionar no funcionamento dos olhos são, na maioria das vezes, fisiológicas, ou seja, decorrentes do próprio período. Portanto, não sendo consideradas doenças. As oscilações hormonais que ocorrem na gravidez levam, por exemplo, a uma maior ocorrência de olho seco, podendo causar desconforto, ardor, coceira ou olho vermelho.

Como as grávidas podem se proteger da conjuntivite?

Devem evitar locais muito fechados ou com aglomerações, piscinas com muita gente ou com poucos cuidados na água. Além disso, é importante não ter contato com pessoas com conjuntivite e não usar maquiagem de outra pessoa ou de uso coletivo.

Quais outros problemas visuais são comumente gerados durante a gravidez?

Algumas grávidas podem apresentar hipertensão durante a gestação, o que pode provocar alterações no fundo de olho, na retina. Quando isso acontece, os principais sintomas visuais podem ser escotomas (presença de manchas escuras em alguns pontos do campo visual), visão dupla e diminuição da visão. Além disso, há também a toxoplasmose: a doença mais grave que pode acometer a grávida e que pode ocasionar danos irrecuperáveis para a visão do bebe. Os sintomas da doença na grávida pode ser uma alteração ocular com lesões ativas na retina. Mas, geralmente, é uma gripe ou uma febre. No entanto, há casos que não apresenta sintoma algum. A toxoplasmose pode ser transmitida de maneira congênita para o bebê, podendo gerar cicatrizes e perda da visão. Sendo assim, a toxoplasmose é uma das principais causas de cegueira em crianças no Brasil.

Qual a melhor forma de se proteger desses problemas visuais?

Se durante a gravidez ocorreu mudança no grau, o ideal é aguardar até o quarto mês após o parto para refazer o exame oftalmológico para a troca do grau e dos óculos. Neste momento o organismo da nova mamãe já está retornando as condições normais e o grau estará mais estável. A gestante que apresentar sensação ou sintomas de olho seco deverá fazer uso de um colírio lubrificante e procurar piscar mais vezes quando estiver usando computador ou em ambientes com ar condicionado. A atenção deve estar redobrada se for usuária de lentes de contato. As mulheres com hipertensão devem ter acompanhamento oftalmológico durante toda a gravidez.

E como prevenir a toxoplasmose?

É de extrema importância a realização do teste específico para toxoplasmose durante o período pré-natal. As grávidas não imunes a toxoplasmose devem evitar o consumo de carne mal passada ou crua, frutas e verduras mal lavadas. Deve consumir sempre água filtrada ou fervida. No caso de contaminação da gestante durante a gravidez, deverá ser instituído o tratamento com medicamentos específicos.  Já o bebê, deverá realizar alguns exames: o teste de sorologia para toxoplasmose; o exame de fundo de olho para detectar lesões ou cicatrizes na retina e exames neurológicos. Se for constatado o diagnóstico de toxoplasmose congênita na criança, deverá ser iniciado o tratamento com colírios e medicação específica para minimizar os danos ocasionados pela doença.

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Transitions Optical