25 de Jun de 2022

Google

Um novo projeto do Google quer que os smartphones que utilizam o sistema operacional Android ajudem seus usuários na detecção de problemas de saúde, como o diabetes e problemas cardíacos. A ferramenta busca prevenir condições que possam levar à perda de visão. O sistema, que ganhou o nome de ARDA, sigla em inglês para Avaliação Automatizada de Doenças da Retina, mostrou resultados bastante promissores na detecção de uma condição chamada retinopatia diabética. Caso não seja tratada em tempo hábil, a condição pode levar à perda completa da visão.

O Google afirma que os primeiros testes provaram que sua inteligência artificial (IA) já é capaz de sinalizar problemas relacionados ao coração, como níveis anormais de açúcar no sangue e colesterol, lendo imagens do exterior dos olhos de uma pessoa. Além de utilizar a câmera do celular, o Google também quer empregar o microfone do aparelho para benefícios à saúde. Um diagrama mostrando o olho de uma pessoa descreve o plano do Google de testar o uso da câmera para detectar problemas de saúde. Já para o microfone o Google pretende usá-lo como estetoscópio para gravar sons cardíacos. O objetivo é ajudar a detectar problemas como a estenose aórtica, uma condição que bloqueia o fluxo de sangue do coração para o resto do corpo. Instrumentos como estetoscópio ou máquinas de ultrassom geralmente são necessários para detectar essas condições, mas o Google está testando se os microfones integrados de um smartphone podem ser usados ​​para fazer o mesmo.

Alguns avanços já foram feitos

O Google já criou um recurso em seu aplicativo Google Fit que permite aos usuários medir sua frequência respiratória, bem como a frequência cardíaca, usando a câmera do celular. Para medir a frequência respiratória, tudo o que precisa ser feito é que uma pessoa se sente na frente do aparelho, ligue a câmera no modo selfie no aplicativo Google Fit e deixe que a IA faça sua mágica analisando o movimento do torso ao inspirar e expirar. Para verificar a frequência cardíaca, basta colocar um dedo na lente da câmera traseira.

A empresa também tem uma ferramenta de dermatologia em andamento que novamente conta com a IA para identificar as condições da pele, cabelo e unhas com apenas algumas fotos tiradas pela câmera do celular. Treinado para reconhecer mais de 280 doenças da pele, a IA então dá uma lista de possíveis condições. No entanto, não se destina a autodiagnosticar problemas, e os usuários ainda são aconselhados a consultar um profissional de saúde certificado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Digital Trends