22 de Out de 2018

Oftalmologista explica os principais cuidados para garantir a saúde ocular nesta época do ano, assim como a forma adequada de tratar essa alergia

A chegada da primavera é motivo de alegria para a maioria das pessoas, em razão do clima mais quente e do colorido das flores. Por outro lado, as mudanças provocadas pela estação podem trazer também o desconforto das alergias, provocadas pela dispersão do pólen no ar, aliadas à poluição e bruscas variações térmicas. A Transitions Optical alerta que uma das reações alérgicas mais comuns nesta época do ano é a conjuntivite primaveril.

De acordo com a oftalmologista Dra. Márcia Beatriz Tartarella, diretora da Sociedade de Oftalmologia Pediátrica da América Latina, é importante que as pessoas estejam atentas aos sintomas da conjuntivite primaveril para tratá-los o quanto antes. “Essa reação alérgica nos olhos costuma causar vermelhidão, inchaço, coceira frequente, ardência, secreção mucosa, aumento na produção de lágrimas e desconforto na presença de luz forte”, explica a oftalmologista.

Ela ressalta que para aliviar os sintomas da conjuntivite primaveril é importante lavar os olhos externamente com água filtrada e realizar compressas com água boricada várias vezes ao longo do dia. Além disso, deve-se lavar os cílios com xampu para bebê – que não agride os olhos. Essas práticas ajudam a remover as partículas que causam a reação alérgica, assim como microrganismos que podem ocasionar infecções.

A médica alerta, no entanto, que se o desconforto persistir por mais de três dias, há a necessidade de procurar um oftalmologista, o qual poderá avaliar a necessidade de prescrever um colírio específico ou outra forma de tratamento.

Formas de prevenção

Quanto às maneiras de prevenção da conjuntivite primaveril, a oftalmologista aponta que algumas atitudes simples no cotidiano ajudam a evitar o aparecimento desse tipo de problema alérgico. As principais são lavar as mãos com frequência, evitar coçar os olhos e redobrar o cuidado com a limpeza de casa. “O ideal é substituir a vassoura, que levanta a poeira, pelo uso de um pano úmido ou esfregão molhado para limpar o chão. Também vale aumentar a frequência de lavagem das roupas de cama, mantas, cortinas e tapetes”, explica.

Outro cuidado, de acordo com a Dra. Márcia, envolve a proteção contra os efeitos dos raios solares nocivos. “Utilizar lentes fotossensíveis é uma boa dica, pois além de criar uma barreira física contra o pólen, elas possuem proteção UV e controlam a luz que chega aos olhos, promovendo mais conforto visual”, analisa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de comunicação da Transitions