14 de Nov de 2018

Quais sintomas sugerem que está mais do que na hora de procurar um oftalmologista? Apesar do número elevado de problemas que podem afetar nossa visão, a maioria das pessoas somente costuma tomar providências quando ela já está prejudicada e apresenta sinais que causam incômodo ao realizar atividades do dia a dia.

De acordo com o Dr. Lucas P. Vicente, oftalmologista, as doenças que mais levam os brasileiros ao oftalmologista são as ametropias, ou o famoso "grau", como a miopia, a hipermetropia e o astigmatismo. Problemas relacionados à superfície ocular também são usualmente responsáveis pelas consultas. Estão entre essas patologias as blefarites e as conjuntivites crônicas.

Conheça alguns sinais de que a sua visão exige atenção e cuidados, assim como as possíveis causas, que somente podem ser comprovadamente diagnosticadas com a consulta ao oftalmologista, que indicará a melhor forma de tratamento.

Embaçamento e distorção visual para distâncias – São as alterações de refração, como miopia, astigmatismo e hipermetropia. São resolvidas com óculos, lentes de contato ou cirurgia refrativa. Uma vez diagnosticadas, recomenda-se a revisão para verificação do "grau" anualmente. 

Embaçamento visual para leitura – É a presbiopia, famosa "vista cansada" ou síndrome do braço curto, causada pelo avanço da idade, por volta dos 40 anos. Hora de procurar o oftalmologista para a prescrição de lentes corretivas. 

Dor ocular aguda – Aquela "pontada" nos olhos pode ser causada por patologias de progressão rápida, como as ceratites e crises de glaucoma aguda, entre outras doenças que podem levar à perda visual irreversível. Procure o oftalmologista o mais breve possível. 

Diminuição abrupta da visão – Se, de repente, sem sentir nenhuma dor, percebeu uma acentuada perda visual, trate o fato com urgência, devido ao risco de o dano ser irreversível. Pode ser descolamento da retina. 

Olhos vermelhos e coceira – As causas são diversas e recorrentes. Por isso, procure um oftalmologista para saber como proceder. Pode ser sinal de conjuntivites alérgicas, a inflamação da conjuntiva, membrana que recobre as pálpebras e os olhos; ou blefarites, inflamação comum e persistente das pálpebras, quase sempre crônicas e cíclicas; ou até mesmo síndrome do olho seco, que afeta a lubrificação da superfície dos olhos e pode acarretar lesão da córnea. 

Diminuição progressiva da visão – Mais comum em pessoas com idade avançada, pode ser sinal de catarata, que é a opacidade do cristalino, lente natural do globo ocular, acarretando baixa da acuidade visual, visão desfocada e/ou cores desbotadas. Os sintomas se desenvolvem gradualmente, ao longo de meses ou anos. Pode necessitar tratamento cirúrgico para restaurar a boa qualidade de vida. 

O oftalmologista reforça sobre a importância em visitar o oftalmologista regularmente para mantermos a saúde ocular em dia. "Muitas doenças têm início silencioso, causando sintomas perceptíveis apenas em fases avançadas, podendo ser irreversíveis, como o glaucoma. Consultando seu oftalmologista, é possível detectar sinais precoces que indicam tais patologias, muitas vezes sendo possível iniciar tratamento precoce, evitando a cegueira", afirma o Dr. Vicente.

Porém, detectada a necessidade em procurar orientação médica, como escolher o oftalmologista? A indicação de outros pacientes sempre ajuda na hora de selecionar um bom médico, pelo menos quanto ao atendimento. No entanto, igualmente importante é identificar a formação e se ele possui registro da especialidade junto ao Conselho Regional de Medicina (CRM). "Pesquise sobre a formação do profissional, tanto na graduação quanto na residência em oftalmologia e nas possíveis subespecialidades, como glaucoma, retina, córnea e cirurgia refrativa", complementa o especialista.

 

 

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de comunicação do Grupo Opty