20 de Nov de 2018

Férias ou feriado prolongando, nada melhor que pegar o carro e viajar com a família para descansar. Entretanto, pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) revela que 90% dos acidentes de trânsito são resultado de falhas humanas, como problemas de visão, embriaguez e reflexo tardio. Para se ter uma ideia, só a catarata aumenta o risco de acidentes no trânsito em 2,5 vezes. “A maioria dos motoristas brasileiros só se lembra de fazer exame de vista na hora de renovar a carteira, o que acontece a cada cinco anos. Mas é muito importante buscar um oftalmologista regularmente. O ideal é ir uma vez ao ano, pelo menos, principalmente para quem tem mais de 40 anos. Isso vai identificar qualquer possível alteração na acuidade visual, o que permite uma correção rápida do problema e uma segurança maior à frente do volante”, explica o oftalmologista Dr. Eduardo Rocha.

Os cuidados devem ser tomados tanto de dia quanto de noite. A luz solar, por exemplo, pode causar ofuscamento. Por isso, é melhor optar por lentes antirreflexivas ou fotossensíveis e com proteção ultravioleta, para amenizar a incidência da luminosidade. “Usar óculos protetores é fundamental para evitar uma exposição excessiva à claridade. Isso impede a interferência da luz e ainda ajuda na prevenção à catarata e pterígeo, aquela carne vermelha que cresce no olho em direção à córnea”, afirma o médico. Para quem costuma dirigir à noite, quando a visibilidade é ainda mais baixa, lentes amarelas amenizam a interferência dos faróis dos automóveis.

Em viagens longas, a dica é parar pelo menos a cada duas horas para lavar o rosto, o que vai auxiliar na lubrificação dos olhos. “Observe também o uso contínuo do ar-condicionado do carro. É uma comodidade, mas ele retira a umidade do ar e impede a lubrificação dos olhos, podendo acarretar sintomas de olho seco, borramento da visão, fotofobia, ardência, entre outros”, destaca o especialista.

Alguns pacientes com elevado astigmatismo ou miopia apresentam maior dificuldade de enxergar ao entardecer. Uma solução pode ser utilizar lentes nas cores verde e âmbar, que melhoram a visão de contraste. “No caso de quem precisa de lentes corretivas, é interessante optar por óculos de sol com lentes ajustadas para o seu problema. Mas seja lente de contato ou óculos, o importante é só pegar a direção com a visão 100%, mesmo que o seu grau seja mínimo. Qualquer alteração pode causar lentidão na velocidade de leitura, dificuldade na identificação de cores, de profundidade e provocar acidentes sérios”, finaliza Dr. Rocha.

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de comunicação do Grupo Opty