17 de Out de 2018

A região dos olhos é uma das primeiras a apresentar sinais de envelhecimento, pois os tecidos são muito finos e a musculatura periocular está em constante movimento, desde piscar até acompanhar o riso ou qualquer outra emoção que se expresse. “Fatores genéticos e a falta de uso de óculos escuros para proteger os olhos dos raios ultravioletas também podem contribuir para o aumento de rugas de expressão e envelhecimento periocular”, explica a oftalmologista Marília Coutinho, especialista em cirurgia de pálpebras e de vias lacrimais do Instituto de Olhos do Recife.

A aparência cansada ou desanimada pode decorrer do mau posicionamento de estruturas perioculares tais como: sobrancelhas caídas, pálpebras abaixo da posição habitual e, ainda, protuberância de bolsas de gordura que dão o aspecto de inchaço ao redor dos olhos. Essas alterações podem influenciar de forma negativa a vida e relacionamentos do paciente, afetando até sua autoestima. “Felizmente, esses problemas podem ser resolvidos facilmente. A pele redundante que pesa nas pálpebras e também no semblante pode ser corrigida com a blefaroplastia”, afirma a Dra. Marília.

Nesse procedimento é realizada a correção cirúrgica da pele em excesso, sendo personalizado de acordo com as características de cada pessoa. “Em alguns casos só é preciso remover a pele. Já em outros o resultado cirúrgico pode ser otimizado associando-se técnicas para melhorar outras alterações que o paciente possa apresentar”, explica a oftalmologista.

Visão

Segundo a Dra. Marília, normalmente, as cirurgias estéticas não interferem negativamente na visão, podendo até melhorar o campo visual do paciente: “Sem falar do alívio no peso das pálpebras, que os pacientes descrevem após a intervenção”, comenta.

Qualquer que seja o caso, a médica orienta que a avaliação e indicação médica são indispensáveis para realizar o procedimento, que pode ser feito por um oftalmologista especializado em cirurgia das pálpebras, também chamada de Oculoplástica. “Esse profissional é treinado para conciliar o procedimento estético ao bom funcionamento das estruturas perioculares e da saúde ocular”, complementa.

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de comunicação do Instituto de Olhos do Recife