22 de Set de 2018

Acessório previne lesões e doenças oculares

oculos2

Cuidados com lentes de má qualidade devem ser redobrados, pois estas ampliam a entrada da radiação ultravioleta

A utilização de óculos escuros é fundamental para blindar os olhos da radiação solar. Indispensável em qualquer período do ano, devido à contínua emissão dos raios solares UVA e UVB, principalmente no verão que o acessório não pode ser deixado de lado. Nesta época de elevadas temperaturas a exposição ao sol é maior, por ser um momento de dias quentes, as pessoas aproveitam praias, piscinas e ambientes abertos. Expor-se ao sol, sem proteção, pode causar uma série de lesões oculares. Entre elas, as ceratites, o aparecimento de pterígio e a precocidade da catarata.

Caracterizada pela inflamação na córnea, primeira estrutura ocular acometida pelos raios solares, a ceratite pode gerar desconforto, dor, fotofobia e embaçamento visual, existindo a possibilidade do acometimento de estruturas mais profundas como o cristalino e a retina, sendo outras regiões dos olhos rapidamente afetadas. Sem tratamento, a ceratite pode levar a uma queda na capacidade visual e até mesmo à perda da visão quando associada a cicatrizes definitivas.

Já o pterígio consiste no crescimento de uma membrana fibrovascular sobre a córnea, avançando em direção ao centro do olho, e que pode atingir a região sobre a pupila, ocasionando ardência, lacrimejamento, fotofobia e a perda visual reversível. Por fim, a catarata trata-se da opacificação do cristalino, fisiológica, mas antecipada pela exposição solar excessiva, o que resulta na diminuição progressiva da visão e pode levar à cegueira reversível.

Lentes de baixa qualidade oferecem riscos

Ao comprar um par de óculos escuros, é importante verificar a qualidade das lentes, que devem possuir um selo que atesta a proteção UV. "Utilizar modelos de procedência duvidosa, comercializados por ambulantes, falsificados, sem garantias e sem nota fiscal é mais crítico do que não usar nada. Cobrir os olhos com este tipo de acessório faz a pupila dilatar, devido à baixa luminosidade, permitindo a entrada de maior quantidade de raios nocivos. Por isso, é fundamental procurar uma ótica de confiança para adquirir o acessório ou pedir a um oftalmologista a indicação de um local adequado", ressalta o Dr. Pedro Antonio Nogueira Filho.

Outros pontos também devem ser considerados em relação às lentes:

- Filtrar entre 99% e 100% de toda a radiação UV (abaixo dos 400 nm). Se possível, filtrar a chamada radiação azul (entre 400 e 500 nm);

- Cobrir a região ao redor dos olhos, para ajudar no combate ao envelhecimento, por danos à pele e pálpebras, causados pelo sol;

- Os benefícios continuam. Além de ser uma barreira contra o vento, evitando o ressecamento dos olhos, mais uma vantagem da utilização de óculos escuros é o bloqueio contra poeira e partículas, que podem causar irritação e vermelhidão.

Crianças podem e devem usar

O que muitos pais desconhecem é que os óculos de sol também são indicados para os filhos pequenos. "Os olhos das crianças são mais sensíveis que os do adulto. A partir dos três anos de idade, quando a exposição ao sol é maior e é possível que a criança permita o uso do equipamento de proteção, a utilização se faz necessária, pois muitas ficam expostas à luz solar brincando em parques, playgrounds e demais locais abertos, o que pode acarretar em lesões a longo prazo", complementa o Dr. Pedro Antonio.

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de comunicação do H. Olhos, Hospital de Olhos Paulista