11 de Dez de 2017

No Novembro Azul, oftalmologista alerta para a importância do acompanhamento médico para diminuir índice de doenças oculares e risco de cegueira

Novembro é o mês de combate ao câncer de próstata e de lembrar a importância da realização de exames médicos regulares para garantir uma melhor qualidade de vida. Neste mês é reforçada a importância da prevenção como principal arma contra doenças que são comuns e podem complicar a saúde masculina. Doenças oculares, como catarata e glaucoma, por exemplo, podem ser diagnosticadas com uma simples visita ao oftalmologista.

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Connecticut em 2016 evidenciou a baixa procura dos homens pelos serviços de saúde. A pesquisa foi feita com 491 pessoas, entre homens e mulheres, e constatou que os homens são os que mais deixam de procurar ajuda médica especializada. De acordo com a oftalmologista Dra. Márcia Tartarella, diretora da Sociedade de Oftalmologia Pediátrica da América Latina, o índice também é valido quando se trata dos olhos. "Os homens costumam deixar o cuidado com os olhos em segundo plano. Por isso, é comum encontrarmos um alto índice de doenças como catarata e degeneração macular em estágio avançado no público masculino", afirma.

O daltonismo, caracterizado pela alteração na percepção das cores, é uma das doenças mais comuns nos homens. "O gene do daltonismo está ligado ao cromossomo X e, por isso, se manifesta mais em homens, que só possuem um gene X", explica a oftalmologista. Além do daltonismo, outras doenças como glaucoma, catarata e degeneração macular também são recorrentes.

De acordo com a oftalmologista, a falta de acompanhamento médico e a demora na realização do tratamento faz com que essas doenças se agravem, o que aumenta os riscos de cegueira. "A maioria das doenças oculares têm avanço silencioso, por isso são tão perigosas. Postergar o tratamento da catarata, por exemplo, pode significar uma piora importante na visão". Outra doença perigosa é o glaucoma. A doença altera o campo de visão gradativamente e pode deixar o paciente cego se não for devidamente tratada. "O glaucoma não ocasiona dor nas fases iniciais, mas pode ocasionar fotofobia e presença de halos ao redor dos faróis e das luzes, o que pode atrapalhar muito para dirigir à noite", explica.

A genética e o tipo de trabalho realizado durante a vida estão entre os fatores que podem ocasionar problemas na visão. Mesmo assim, alguns hábitos simples podem ajudar a manter os olhos saudáveis. A oftalmologista cita a alimentação equilibrada, cortar o cigarro, diminuir o consumo de álcool, fazer pausas periódicas da frente do computador e usar óculos com proteção UV como algumas das medidas mais importantes no dia a dia. Para quem dirige, os cuidados devem ser diários. "O uso de óculos com proteção UVA e UVB em ambientes externos e para dirigir é uma das medidas que devem se tornar um hábito para manter a saúde ocular e prevenir estas doenças", alerta a Dra. Márcia Tartarella.

Para os usuários de óculos de grau, o indicado é fazer uso de lentes fotossensíveis. "As lentes Transitions se adaptam aos diferentes níveis de claridade e garantem maior conforto visual e proteção contra os raios UVA e UVB e podem ser adaptadas também aos óculos multifocais", explica Tatiana Nardez, gerente de Marketing da Transitions Optical Brasil.

 

 

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação da Transitions Optical Brasil.