11 de Dez de 2017

Como uma pessoa daltônica vê o mundo?

Também conhecido como discromatopsia, o Daltonismo é a alteração na percepção de cores. A nossa visão de cores é dada pelas células da retina chamadas cones. Existem basicamente três tipos de células cones, cada uma responsável pela visão de uma das três cores básicas: o vermelho, o verde e o azul. As outras cores são, na verdade, a combinação dessas três cores.

A forma que realmente é chamada de Daltonismo é a deficiência para o verde e vermelho. Trata-se de uma doença genética, ou seja, existe uma alteração nos cromossomos. Geralmente a alteração genética está no cromossomo X, portanto, é mais comum nos homens.

Diagnóstico

São dois tipos de exames para fazer o diagnóstico:

Teste de Ishihara - exame mais utilizado por ser de fácil manuseio, consiste em placas com números formados por pontos de cores diferentes. A pessoa com Daltonismo ou não enxerga nenhum número ou enxerga um número diferente.

Anomaloscópio de Nagel - o teste realizado por esse aparelho consiste em dividir o campo de visão do paciente em duas partes. Sendo que uma delas é iluminada por uma luz monocromática amarela, enquanto a outra é iluminada por diversas luzes monocromáticas verdes e vermelhas. Solicita-se ao paciente que iguale as tonalidades dos dois campos visuais alterando a razão entre a intensidade das luzes vermelha e verde e modificando a intensidade da luz amarela. Através da comparação entre a tonalidade real e a visualizada pelo paciente é possível determinar qual o tipo e o grau do daltonismo.

Tratamento

Até o momento não existe um tratamento definitivo e específico. É possível usar algumas lentes de óculos com filtros de cor, conhecidas como lentes com filtros seletivos para uso medicinal, as quais ajudam a diminuir o desconforto e melhoram o contraste.

 

 

 

 

 

Fonte: Visão Laser